Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \29\UTC 2014

A menina e o menino

Deixa eu te contar uma linda história de uma menina e um menino. Foi assim: eles se conheceram e já sentiram algo mais. Foi como paixão no primeiro sorriso, mas ela morava em um reino e ele em outro castelo. As poucas horas que passaram longe após terem se visto aquela primeira vez foram de curiosidade, de conhecer o outro por meio do estranho aparelho que traz a voz (e a imagem) da pessoa para perto!
Começaram o namoro (ou a menina achou que começou) antes do primeiro beijo… Se apaixonaram antes dele rir dela assoprando uma colher e cantando parabéns, jurando que não havia mais ninguém em volta além deles dois.
Mas, assim como em Romeu e Julieta, mantiveram parte do romance em segredo, distante de olhares curiosos e opiniões maldosas. Também acreditaram que seriam felizes para sempre, que viveriam juntos por saber que o melhor é ter o outro perto…
Acreditavam (olha só!) na imensa bobagem que é achar que o outro te traz paz, te traz o melhor de você.
Mas, como eram de reinos diferentes, estavam sempre longe. Fisicamente, claro. Eram fotos, mensagens, telefonemas, horas e horas de sorrisos, alegrias e saudade. A cada partida no pássaro de aço para vê-lo, ela tinha certeza que uma parte ficava mais forte. Mais sólida. Mais feliz. A cada volta, era uma parte sólida que ficava, uma (ou algumas) lágrimas na terra da garoa.
E então, aquele menino, diferente do que ela tinha percebido, precisava de asas livres. O que ele fazia era buscar construir suas asas cada vez maiores para voar. O menino quer voar, sozinho! Ele sabe que, na sua vida, precisa de asas, sem penas, para decolar cada vez mais… E ela, a menina, não tem asas. Não se preparou para voar e conseguir acompanhar aquele menino pelo qual ela se apaixonou e trouxe a felicidade para ela…
O segredo, dos dois, estava mais difícil para manter… A saudade atrapalhava e trazia a vontade de falar mais, de ter mais, de querer mais.
A menina não soube compreender o menino que precisa voar. A menina quer ajudar o menino a voar, mas ao invés de impulsionar, ela o empurra. Para longe, toda vez que quer visitar seu reino e atrapalhar as suas asas… Para longe, todas as vezes (como essa menina é insistente!) que ela quer a atenção dele (e olha que ela explicou que fica feliz com mensagens bobas durante o dia, como todas as vezes que ele visse algo que o lembrasse dela).
A menina, ou eu, ama esse menino, ou você. Mas essa menina, ou eu, não quer mais o menino, ou você, tão longe dela. Ela acha que longe não são os 500km. Longe é não poder participar da vida do outro, não saber como foi o dia, não ter dito “boa noite” antes de dormir… Lembro também que ela me contou (ou eu me lembro) que o que ela mais ama hoje, na vida, é ver ao vivo o sorriso do menino (você!) e tentar explicar o tamanho da saudade que sente por alguém que ela chama de Vida.
Agora, menino, pegue as suas asas e voe bem alto! Cresça nesse céu azul e deixe a menina orgulhosa de ver o que ela já sabe… Você consegue!
Ela, no reino tão tão tão distante, vai torcer todos os dias por você, no castelo da Garoa. Ela vai olhar e cuidar das suas asas como se aquelas asas pudessem fazê-la voar para perto de você. A menina te ama, menino! Não é por não te amar que ela que você voe alto. É por te amar tanto que essa menina solta toda a corda de expectativas e vontades para que o menino, agora livre, alcance vôos ainda mais altos.

Anúncios

Read Full Post »